Habilitando a opção Multi Site do WordPress 3.0

Ter em um mesmo domínio diversos sites, poder gerenciar todos de forma simplificada e ainda possibilitar o acesso individual é um trabalho que até pouco tempo atrás demandava horas de planejamento e muito mais de programação.

A partir do WordPress 3.0, a antiga versão MU que auxiliava no processo de instalação múltipla foi incorporada à versão bastando somente ser habilitada ao fim da instalação normal.

Proceda normalmente com a instalação simples do WordPress 3.0.

Na raiz da sua instalação, abra o arquivo wp-config.php e acima da linha que diz:

/* Isto é tudo, pode parar de editar! */

Digite:

define('WP_ALLOW_MULTISITE', true);

Para dar continuidade no processo é importante que todos os plugins estejam desativados. Feito isso acesse o menu Ferramentas e verá que surgiu um novo link chamado Rede. Acesse este link e com atenção preencha as informações pedidas.

  • Título da Rede
  • Endereço de email do administrador
  • Opção subdomínio ou pasta relativa (se for uma instalação localhost este item não aparecerá, a opção padrão é pasta relativa).

Para este processo eu não vou utilizar subdomínio que necessita de outros requisitos e caso tenha interesse pode ver mais a respeito em http://codex.wordpress.org/Create_A_Network.

Clique em instalar.

Neste ponto é importante que faça o backup do seu arquivo wp-config.php e .htaccess, se for a primeira instalação ou ainda não tiver customizado a sua instalação, provavelmente não terá ainda o arquivo .htaccess.

Crie abaixo da pasta wp-content uma nova pasta e dê o nome de blogs.dir. É importante que essa pasta tenha permissão de leitura e escrita (chmod 777).

Conforme descrito no item 2 da página de instalação, adicione ao arquivo wp-config.php, logo acima da linha:

/* Isto é tudo, pode parar de editar! */

o conteúdo do box branco que deve ser parecido com este:

define( 'MULTISITE', true );
define( 'SUBDOMAIN_INSTALL', false );
$base = '/';
define( 'DOMAIN_CURRENT_SITE', '*******' );
define( 'PATH_CURRENT_SITE', '/' );
define( 'SITE_ID_CURRENT_SITE', 1 );
define( 'BLOG_ID_CURRENT_SITE', 1 );

Adicione também as chaves de autenticação exibidas no segundo box:

define( 'AUTH_SALT', '******************************' );
define( 'SECURE_AUTH_SALT', '******************************' );
define( 'LOGGED_IN_SALT', '*******************************' );
define( 'NONCE_SALT', '*****************************' );

Crie ou edite o arquivo .haccess que está na raiz da sua instalação e adicione o conteudo do terceiro box:

RewriteEngine On
RewriteBase /
RewriteRule ^index.php$ - [L]

# uploaded files
RewriteRule ^([_0-9a-zA-Z-]+/)?files/(.+) wp-includes/ms-files.php?file=$2 [L]

# add a trailing slash to /wp-admin
RewriteRule ^([_0-9a-zA-Z-]+/)?wp-admin$ $1wp-admin/ [R=301,L]

RewriteCond %{REQUEST_FILENAME} -f [OR]
RewriteCond %{REQUEST_FILENAME} -d
RewriteRule ^ - [L]
RewriteRule  ^([_0-9a-zA-Z-]+/)?(wp-(content|admin|includes).*) $2 [L]
RewriteRule  ^([_0-9a-zA-Z-]+/)?(.*.php)$ $2 [L]
RewriteRule . index.php [L]

Agora, se você acessar seu painel administrativo verá que foi criado um grupo de links com o título Super-Admin. Neste grupo de links que você vai gerenciar os sites que serão criados.

Criando um repositório SVN para controle de versão

A utilização do SVN no windows é bem fácil, visto que temos o software Tortoise que gerencia todo o processo, até mesmo a criação do repositório. No Mac eu não encontrei um software com a mesma capacidade, então tive que enfrentar a utilização via linha de comando.

Apesar de haver diversos sites demonstrando o passo-a-passo, algumas particularidades acabaram gerando erros, por este motivo resolvi anotar alguns passos em que sempre gerava transtorno.

Crie uma pasta para gerenciar todos os versionamentos, por exemplo, Documents/SVN. Acesse o terminal, siga até a pasta criada e digite:

usuario:SVN usuario$ svnadmin create repositorio

Lembrando que você deve substituir “repositorio” pelo nome do seu projeto.

usuario:SVN usuario$ cd repositorio/
usuario:SVN usuario$ svn import /Users/usuario/Sites/projeto  file:///Users/usuario/Documents/SVN/repositorio/ -m "importacao inicial"

A partir deste ponto o seu terminal deverá importar todos os arquivos da pasta onde está o seu projeto. Após a importação esta pasta já não terá mais função e poderá ser deletada, entretanto é melhor guardar até que o processo esteja completamente finalizado.

Crie a pasta onde ficará a sua cópia de trabalho, juntamente com as pastas trunk, branches e tags. Pelo terminal vá até a sua pasta trunk e digite o comando:

usuario:SVN usuario$ svn checkout file:///Users/usuario/Documents/SVN/projeto/

Se todo o procedimento foi executado sem erros você verá a mensagem de confirmação: Checked out revision 0. A partir deste ponto é só gerenciar o seu versionamento adicionando novos arquivos, deletando os antigos ou recuperando uma versão antiga.

Currículo

Designer, pós-graduado em Criação Visual e Multimídia pela Universidade São Judas Tadeu.
Atua na elaboração projetual e visual de websites assim como na programação fazendo uso de Frameworks e CMSs baseados em PHP.